PUBLICIDADE



PLANTãO REGIONAL

SETE LAGOAS

31, Outubro de 2020

PAREDÃO - Sete Lagoas não pode nem pensar em cair nas mãos de um prefeito como Douglas Melo

Estamos exatamente há 15 dias das eleições municipais, onde os brasileiros vão as urnas com informações de sobra para escolher e obviamente fazer as mudanças que precisam em suas cidades. Não é novidade para ninguém que a rede social passou a ser o carro chefe com postagens, que pode trazer benefícios e também facilitar de acordo com quem está por trás, a eleição de políticos bons ou de corruptos da mesma laia que estamos assistindo serem presos, desbaratados em quadrilhas, que saquearam todo o segmento público, sem dó e piedade do povo, que é responsável pelos rombos deixados nos cofres públicos, e que dificilmente serão reparados, para finalidade real dos pagamentos de impostos que são políticas públicas decentes e justa para o povo brasileiro.

Vejam vocês que em uma eleição como esta que se avizinha, nós temos candidatos a prefeitos, que se quer se prepararam para o cargo ou para a campanha, e a prova disso é que as campanhas estão sem qualquer motivação, sem recursos e a maioria, tanto para o cargo de prefeito como de vereadores, estão na verdade é a procura do poder e de um bom emprego para garantir pelo menos os próximos quatro anos.

Até agora não vi nenhum órgão de comunicação ou qualquer pessoa mostrar o tanto que está sendo desrespeitoso o candidato Douglas Melo, que inclusive deveria ser modelo e exemplo, pois traz a tira colo, além da autoridade de deputado do estado, uma vice que é bacharel e delegada de polícia, o que torna a situação mais absurda e critica para os dois, pois ninguém consegue desrespeitar as leis como estão fazendo insistentemente e sendo multado pela Justiça Eleitoral, com multa sendo duplicada, em função de não respeitar a legislação e também as decisões judiciais.

Francamente, eu jamais imaginava que o Douglas estava tão enrolado conforme vem sendo noticiado e denunciado pelo Ministério Público nos casos dos processos em andamento e que certamente estão lhe trazendo no mínimo desgastes, dores de cabeça e se em caso de vencer, a incerteza se será diplomado ou governar a cidade. Por ele ser político, mas com o PHD de animador de shows e apresentador de programa, como radialista, até posso aceitar, mas o que eu não entendo é a sua vice, a delegada Stefânia Valgas, que vem trazendo com a sua presença a demonstração que não apita nada nas decisões do Douglas e muito menos discorda das atitudes de desrespeito à legislação e as decisões judiciais

Pela fisionomia alegre e feliz da delegada, a gente imagina que seria uma profissional de carreira de sucesso, mas, no entanto, está se queimando nessa roubada de ser vice de um candidato truculento, orgulhoso e pedante, que se acha astro de televisão. Imagino que ela está vivendo durante essas caminhadas políticas o seu momento de fama, onde só pensa em ser autoridade em uma cidade como Sete Lagoas, 8ª em Minas, e que pode estar jogando no lixo a sua carreira que tinha tudo para ser brilhante. Na pior das hipóteses vai sair desta campanha respingada como uma autoridade que não respeita as leis e que concorda em cometer crimes para chegar a vitória. Eu lamento, pois não conheço e nem nunca cumprimentei a Dra. Stefânia, mas imagino que deve ser uma pessoa que está voltando a sua adolescência como se estivesse ganhado uma boneca ou um presente que lhe faz feliz e indiferente a realidade do mundo. Sete Lagoas não merece e nem pode optar por uma dupla que vem se destacando pelas mentiras, pelas fake news e essa brincadeira de vale tudo para vencer e chegar aos cargos do Executivo.

  • Reprodução do Diário Boca do Povo (edição do dia 31/10/2020)