PUBLICIDADE



PLANTãO REGIONAL

SETE LAGOAS

07, Junho de 2022

Vereadora reclama que Prefeitura está realizando obras pela cidade

Ao que tudo indica, a vereadora de Sete Lagoas, Heloísa Fróis, não gosta quando a Prefeitura realiza obras pela cidade. Depois de reclamar da poeira originada das máquinas que trabalham diariamente na Av. Marechal Castelo Branco, agora foi a vez da Praça Wilson Tanure (Praça do CAT). Fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre a Prefeitura e a empresa Lojas Planeta, a praça em breve será revitalizada dando maior conforto aos sete-lagoanos e aos turistas, já que o espaço contempla não apenas bancos e jardins, mas também o Centro de Apoio ao Turista (CAT).

Em um vídeo divulgado em sua rede social na tarde desta terça-feira, 7, a vereadora, demonstrando um "profundo conhecimento" de engenharia, afirma que "há formas melhores de se gerenciar uma obra", mas não diz quais. Na sequência, diz que "os pedestres estão tendo seu direito de mobilidade, de acessibilidade 100% tolhidos aqui desse lado da praça", desconhecendo ou fingindo desconhecer as várias possibilidades de desvio para quem passa pelo entorno da praça. O objetivo, no fundo, parece ser a crítica pela crítica.

Enquanto durarem as obras, o cidadão que vem da rua Sr. dos Passos tem a opção de atravessar a faixa de pedestres da Av. Getúlio Vargas e seguir pela orla da Lagoa Paulino. Poucos metros à frente há outra faixa de pedestres para quem deseja seguir pela Escola Estadual Arthur Bernardes. Outra opção é contornar a praça, passando pela Travessa Juarez Tanure e pela rua Professor Fernandino Júnior. Já para o pedestre que vem da escola no sentido centro, basta fazer o caminho inverso, também contornando a praça, pegando a rua Professor Fernandino Júnior e, depois, a Travessa Juarez Tanure.

Vale lembrar que a obra está sendo administrada pela empresa Lojas Planeta e a vereadora foi eleita, em grande parte, com o voto dos empresários da cidade. Agora, critica uma obra realizada por uma empresa, em parceria com a Prefeitura. Qual será a próxima obra a ser criticada pela parlamentar?