Vereadores abandonam reunião após Pastor Alcides se recusar a apreciar projeto de interesse da população
Vereadores abandonam reunião após Pastor Alcides se recusar a apreciar projeto de interesse da população

facePlantão Regional
perm_contact_calendar20 Maio, 2020 18:44:33


Com a ausência do presidente da Câmara de Sete Lagoas, vereador Cláudio Caramelo devido a uma consulta médica, a sessão da última terça-feira, 19, foi presidida pelo vice-presidente, o vereador Pastor Alcides (foto/arquivo).



No decorrer da sessão, 12 vereadores fizeram por meio de um ofício um pedido para que o presidente da sessão colocasse em pauta o PL/50 (Projeto de Lei), que trata da PPP-Parceria Público Privada referente a reforma da rotatória da Barbosa Melo no final da Rua Santa Juliana.


Essa PPP em questão será realizada com o Supermercado Santa Helena, com contrapartida do Município - que irá realizar a obra de revitalização. O PL/50 está na casa há mais de 45 dias e todas as comissões já deram o parecer favorável à proposta.


Assim que fosse votado e aprovado, o mesmo já poderia ser iniciado. Com esse argumento a maioria dos vereadores presentes pediu a inclusão do PL/50 na pauta de votação do dia, pedido este recusado pelo Pastor Alcides sem nenhuma explicação.


A atitude revoltou os vereadores Marcelo Cooperselta, Milton Martins, Pastor Fabrício, Gilson Liboreiro, Ismael Soares, Beto do Açougue e vereadora Gilslene que, em protesto, se retiraram da reunião.


Mesmo assim, o Pastor Alcides seguiu a reunião, mas sem quórum parlamentar mínimo para realizar qualquer votação, visto que apenas os vereadores Renato Gomes, João Evangelista, Gonzaga, Rodrigo Braga, Dr. Euro, Ronaldo João e a vereadora Marli, além dele, totalizando apenas oito vereadores, número insuficiente para realização de qualquer votação.


Após a insistência de Pastor Alcides em seguir com a sessão, a procuradora geral da casa Dra. Carolina R. Schettino alertou o mesmo que não haveria condições de seguir com os trabalhos, dando assim por encerrada a sessão. Mais uma vergonha para a conta do Legislativo local, neste caso, endossada por Pastor Alcides.


Facebook WhatsApp